BIOCONSTRUÇÃO – CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

BioconstruçãoA BIOconstrução pode ser resumida como cultura construtiva e de habitat que considera a edificação; desde sua concepção, obra e uso, até sua desconstrução; um SER VIVO que se relaciona, o mais positivamente possível, com outros seres, com seu habitat e com seus ocupantes de acordo com as variantes que compõe seu nicho ecológico* (recursos – condições – interações).

Podemos então denominar de BIOCONSTRUÇÃO, ou Construção Viva, toda aquela construção que gera e mantém o bem-estar e a saúde de todos os habitantes ou usuários dos espaços conformados; além de preservar ao máximo as condições e ciclos naturais do planeta.

Desde o processo de concepção e projeto, até seu processo de construção e inclusive durante todo seu tempo de uso, as construções são consumidoras de recursos, energia e materiais que em sua maioria não são recicláveis ou renováveis, e alem disso também são geradoras de dejetos e lixos contaminantes ou poluentes.

Sem foco na salubridade e sustentabilidade, a maioria dos edifícios projetados e construídos em uma sociedade baseada no consumo são insalubres e insustentáveis.

Para nosso contexto atual a BIOconstrução é uma importante ferramenta para resgate das relações ECOLÓGICAS HARMÔNICAS entre as construções e seus ecossistemas, com base na preservação das condições naturais de saúde dos seres vivos e dos ambientes naturais.

Assim como nossas vestimentas as edificações são extensões de nosso corpo, e devem assim ser o mais orgânicas, naturais e o menos impactante possível para nós e para o planeta Terra.

*NICHO ECOLÓGICO – “Maneira como um ser vivo ou uma população vive dentro de um ecossistema gerando efeito e respostas fisiologicas em outros seres e no meio ambiente” (Wikipedia)

BIOhabitate - todos os direitos reservados